Arqueólogos descobrem túnel asteca ao lado de rodovia movimentada no México

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Tempo de leitura: 3 min.

Entre os anglos, nenhum nome lembra mais o México do que Montezuma, o primeiro asteca a encontrar europeus e cuja morte durante a conquista espanhola liderada por Hernán Cortés gerou a lendária maldição da diarreia em viajantes gringos ao México para vingar o massacre e a escravidão do povo asteca por Cortés.

Arqueólogos descobrem túnel asteca ao lado de rodovia movimentada no México
Captura de tela de vídeo do local onde o túnel foi encontrado.

O que menos se sabe é que esse era o Montezuma II. Montezuma I (também conhecido como Moctezuma I e Moteuczomatzin Ilhuicamina) foi o segundo imperador asteca e o quinto rei de Tenochtitlan (Montezuma II foi o nono rei) e seu nome apareceu nas notícias novamente nesta semana, quase 500 anos após sua morte em 1520. Os arqueólogos descobriram um mundo secreto do túnel asteca que se acredita ter sido construído por Montezuma I em homenagem a Tlaloc, o deus asteca da água e da fertilidade.

Que mistérios esse túnel pré-hispânico contém?

O mais surpreendente é que encontramos uma escotilha de madeira, que é uma descoberta única em todos os sistemas de diques da bacia do México, porque, em geral, esses tipos de elementos dificilmente são preservados.

Raúl García Chávez, coordenador do projeto de recuperação e aprimoramento arqueológico do Instituto Mexicano de Antropologia e História (INAH), disse à Turquesa News que o túnel encontrado embaixo da cidade de Ecatepec de Morelos, ao norte e segunda em tamanho à Cidade do México, estava densamente decorado com inscrições, esculturas e pinturas, bem como essa escotilha de madeira bem preservada, que indicava que o túnel era usado para controlar as águas dos lagos próximos de Zumpango e Xaltocan, uma tarefa associada ao deus da água, que também era responsabilizado pelas inundações e tempestades.

Arqueólogos descobrem túnel asteca ao lado de rodovia movimentada no México

Segundo García Chávez, o projeto de escavação está em andamento há quinze anos – muito mais tempo do que as pessoas do século XV levaram para construir o túnel, que ele estimou em oito meses para cavar essa estrutura de 4 km. Não está claro se as decorações e artefatos foram concluídos no mesmo período. Entre eles estão petróglifos representando um chimalli (escudo de guerra), a cabeça de uma ave de rapina e uma ponta de pederneira. As esculturas na parede mostram um templo e gotas de chuva que “indicam que o tamanho e o templo que ele representa têm um vínculo com Tlaloc”.

O extremo oeste do túnel era o ponto de acesso às hidrovias e ali as escavadeiras encontraram quatro pregos de ferro, duas vigas de madeira de 6,50 metros de comprimento e material orgânico que pode ser um portão decomposto preso ao dique que retém as águas.

Os revestimentos de parede e estuques são mais interessantes para os arqueólogos. García Chávez acredita que eles mostram que os habitantes das cidades pré-hispânicas de Ecatepec e Chiconautla trabalharam juntos no projeto com os povos indígenas da região para construção do dique – cooperação que era desconhecida na época.

Áreas conquistadas pelos governantes astecas.

A descoberta deste túnel é importante para os arqueólogos, pois ajudará a descobrir mais da história não escrita da era pré-hispânica, cuja história foi reescrita de maneira imprecisa pelos pós-hispânicos. Também é importante para os mexicanos modernos, porque eles estão enfrentando escassez de água, poluição e inundações – problemas que seus ancestrais trabalharam juntos para resolver.

Poderiam os mexicanos de hoje cooperarem para resolver seus problemas atuais de água como seus ancestrais? Se isso acontecer, ambos Montezumas ficariam satisfeitos.

[Para informações de como ativar a legenda em português do vídeo abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui.
(Macete: algumas legendas são melhores acompanhadas lendo-se somente a última linha)]

Artigo anteriorEUA, Rússia e Europa realizam jogos de guerra nuclear ao redor do planeta
Próximo artigoNévoa é fotografada pairando acima do solo de Marte